terça-feira, 10 de julho de 2012

Vivo por ti (Quebrângulo enfim chegou ao fim)



Traduzir uma parte
na outra parte
— que é uma questão
de vida ou morte —
será arte? (Ferreira Gullar)





Vivo por ti
Por ti vale meus olhos
quase cegos







Peço a ti
Traduz o meu corpo
para a linguagem do sol

Se me queres dar um prazer verdadeiro
traduz








Que as pessoas vejam
o lago banhar o meu corpo
na medida do teu desejo


E tu e todos estejam
entre nós

E a sede que sou
esteja em ti



E a procura que sou
se faça em ti





Não tenho medo
Porque tenho a ti
próximo a mim

Segura minha mão
nessa descida
Entro por ti






Vês o sol que criaste do teu desejo?
Ele se põe

Vês a tarde que finda
é só uma tristeza que ri










Um pouco atrás de ti
Um pouco a frente de ti
A imagem de uma mulher
Alguém a desenhou
para velar por ti

Mlailin




3 comentários:

sueli aduan disse...

Belíssimas fotos, textos:- percepção belíssima de 'tudo' do entorno. Só você com essa sensibilidade impar mesmo. Amei !!!! e sou grata.

E quebrângulo chega ao fim com tudo que pode ser (que é) determinado na última imagem... mãos/olhos.... e sei que minhas palavras são o nosso entendimento. bjus

sueli aduan disse...

Tentei colocar um comentário não consegui, vou novamente : O)

marcia lailin disse...

linda tu és