segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Tony Scott





Quase 19:30, estava atrasada
Antes de sair ainda dei uma olhada na tela e li:
“Polícia investiga motivos para o suicídio do cineasta Tony Scott
Tony saltou no domingo de uma ponte de 56 metros de altura
Deixou um bilhete de despedida  no escritório
E no seu carro uma lista de pessoas a serem contatadas...
Fiquei atônita
Caiu como uma bomba em cima de mim



Enquanto na aula os números dançavam em minha mente...
aritmética, geometria e a álgebra...
A pergunta martelava:
“Mas que raios essa polícia quer investigar os motivos?”
Deveria investigar que motivos uma pessoa tem para viver
se encontrarem dois ou três
Oh, glória!



Sabe meu velho,
escute aqui
Deveria ter deixado por escrito os motivos que tinha
Desesperança, medo, guerra, crimes, violência, governantes, doença, futuro, sociedade desinteressada, magoas... Uma infinidade...
É sempre assim
querem sempre saber
Como se não soubessem o tamanho da profundidade.
Afinal, o que houve?
Vamos diga
Estava doente?
Doente do coração?
Não se sentia feliz?
Completamente feliz?
Completamente?



Vamos, meu velho, conte-me a verdade
jogue fora esse pensamento torturante
ainda inconfessado

Mlailin






3 comentários:

Starassiuk disse...

Um texto tocante, Márcia!
De fato há muito mais motivos
para se atirar de uma ponte do que para "atravessar"
essa mesma ponte...
Parabéns!
Gosto do seu QUADRO MENTAL!

Dario B. disse...

Este é um quadro que não pode ser restrito por moldura nenhuma. É em si mesmo conteúdo e continente.

Unknown disse...

ou serás ponte
ou abismo
ou voarás

Ele foi os três ao mesmo tempo