Translate

sábado, 18 de agosto de 2012

Serei tudo o que disserem...



Acredito que uma pessoa


não pode ser agradável senão quando


a conhecemos pouco


quando ainda existe o mistério nela


o inexplorado


quando se conserva um pouco de inquietude velada




Sinto em mim o peso da solidão

Outrora era ágil, alegre e corajosa

Agora, engordo

e não encontro mais prazer em coisa alguma


Os passeios me cansam


as conversas


as festas


me fazem mal


e os homens me aborrecem na mesma intensidade


em que me interessaram antes






Ia para casa

e a ideia da casa vazia

da cama para fazer...

louça para lavar...


banheiro...

.
cobranças... cobranças...


a voz do meu pai


da minha mãe


dos meus irmãos


da vizinhança


dei meia volta


entrei no fundo do coração


até as profundezas da carne


encontrei um outro frio


ainda mais doloroso do que 


esse ar gelado




meu pequeno coração de mulher seduzida

vencida


conquistada


passando por esse mundo de pesadelo



essa via sacra



estações tão cansativas



tão monótonas



tão iguais



que a náusea me sobe aos lábios



com a previsão de que vomitarei



dentro em breve



Mlailin




2 comentários:

Helle Santos disse...

Muito bom...Bjosss

Lígia Saavedra disse...

Poetar as nossas tristezas exorciza as dores que nos causam e faz chorar o pensamento com lágrimas em versos, Mailin.
Parabéns!