quinta-feira, 19 de abril de 2012

DURA VERDADE




Como te chama?
Sorria, filha do amor
para assim
assinalar o teu rosto
distinguir o teu olhar
encontrar a tua existência 





Não nos acompanhe
leve a tua singela composição
abandone as página do livro
Desta terra que te pariu!



Carrega teu filho
sobre a terra
sobre o mar
sobre o ar
Oh, mãe protetora
luz do homem!

Te sentes mal
Te olham
Te espiam


Andei, tanto e de lugar em lugar
que sabia
assinalar o teu rosto,
distinguir o teu olhar



Filhos desenganados
sem esperança
em tua condição de abandonados
Tudo muda, menos a tua face

Mlailin

3 comentários:

Rosemary Q.(Miguxa) disse...

Márcia, linda composição. Parabéns!

sueli aduan disse...

Grande percepção do "entorno", belíssimos escritos. Parabéns ,Lailin.

bjus

Mlailin disse...

Obrigada Sueli e Rosemary
Isso me anima a continuar