quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Cartas censuradas



O que mais me impressionou foi saber que você tem outra
Não vá pensar que agora ao escrever essa estou pensando em vingança
Sei, que não vale a pena, mas que dá vontade, ah, isso dá
Quero apenas que saiba que censuro a mim não a você
Que saiba que fui uma idiota pensando que poderíamos viver juntos
Agora que penso nisso, imagino que com certeza
recebeu as mensagens piegas que mandei para você
E não respondeu porque não quis ou porque decidiu não querer
Você não saberá jamais como foram exatamente, aquelas noites e aqueles dias
daqueles meses que te esperei
longas madrugadas
que entrasse por um segundo no msn ou no skype
Pensei que nunca mais seria feliz
Talvez você julgue tudo isso uma tolice sentimental de muito mau gosto,
ou pensará que estive bebendo
Sorria enquanto eu me aproximo trazendo na mão esquerda
uma taça grande de vinho tinto
e na direita um pratinho de azeitonas pretas
Quero desabafar
ajustar as contas com você
Refiro-me ao assunto "Charlotte"
Eu já sabia
Já vinha rastreando seu Facebook
olhando suas postagens 
seus amigos
Como vê tais coisas não se escondem, nem adianta tentar
Contratei um detetive virtual
e el não só gravou as conversas
como também filmou cenas eróticas
com direito a streep tease
Senti imensamente saber tais coisas
Já devia ter consciência de que o animal homem é
inconsciente e mutável, tem apetite devorador
no que tange ao amor (?)
E não era só uma, eram várias
Não sei se está apaixonado por X ou por Y
Continue...
Eu não serei mais do mesmo modo quando tudo terminar
Lembro daquele tempo quando eu pegava em suas mãos e caminhava com você
ao mesmo tempo você corrigia-me e adulava para me tirar de minhas zangas
Lembro que sentei-me a beira do lago com você
Você enlaçou-me nos braços e começou a beijar-me como se fosse a 
primeira vez
Talvez hoje se encontre no mesmo ponto
com a outra
Eis agora o que vou dizer:
Seja feliz!

Márcia Lailin



Nenhum comentário: