Translate

sábado, 18 de junho de 2011

BIDÊ







 PARECE QUE FAZ MUITO TEMPO. 
FOI NO TEMPO EM QUE EU ERA DONA DO MEU NARIZ E IA ONDE QUERIA. 
AGORA QUEM MANDA EM MIM É A DOR. 
É ELA QUEM DIZ : HOJE VOCÊ VAI FICAR DE CASTIGO ESTIRADA NESSA CAMA. 
SE PUDESSE DIRIA A ELA: TÔ CAGANDO PRA VOCÊ. 
MAS CHEGA UM DIA NA VIDA DA GENTE QUE ELA FICA ALI NA NOSSA FRENTE, SEM NUNCA TER SIDO CONVIDADA, TODO SENHORA DE SI, DIZENDO: QUEM MANDA AQUI AGORA SOU EU! 
LEMBRO QUE ERA UMA DELICIOSA TARDE DE VERÃO. 
FAZIA ALGUMAS HORAS QUE NÃO LIA NADA E JÁ ESTAVA ENTRANDO EM SURTO. 
ESTAVA TAMBÉM COM SEDE E PRECISAVA IR AO BANHEIRO. 
LEMBREI DA CASA DAS ROSAS. 
MAS O SACO DAQUELA CASA É A FUNCIONARIA DA BIBLIOTECA, NÃO PODE ISSO, NÃO PODE AQUILO, NEM BEBER ÁGUA ENQUANTO SE LÊ PODE. 
DEI UMA OLHADA COMO QUEM NÃO QUER NADA E VI QUE ELA ESTAVA OCUPADA COM UM VISITANTE, 
E O SEGURANÇA ESTAVA FALANDO PARA ALGUÉM A MESMA LADAINHA DE SEMPRE. 
FECHEI A PORTA E COLOQUEI O AVISO QUE ESTAVA ATRÁS DA PRIVADA: EM REFORMA. 
E ALI ESTAVA EU COMPLETA. 
UM CADÁVER DENTRO DE UM BANHEIRO, DENTRO DE UM LIVRO DE MEMÓRIAS. 
O LIVRO ERA GRANDES ESPERANÇAS DE CHARLES DICKENS. 
VIA A CIDADE PELA JANELA CINZA E FRENÉTICA NA NOITE QUE NASCIA. 
DEVORAVA AS PALAVRAS COM MEU OLHAR DE LINCE. 
AS HORAS PASSAVAM... 
ENTREI MODERNISTA E SAI CONCRETISTA. 
AO DESCER AS ESCADAS EM CARACOL JÁ ERA UM CLÁSSICO. 
E FOI ASSIM QUE AO COLOCAR OS PÉS NO ÚLTIMO DEGRAU OS VISITANTES, CENTENAS DELES CORRERAM ATÉ ONDE EU ESTAVA E ME ERGUERAM PARA O ALTO. 
O CURADOR DE LITERATURA DA CASA QUE NUNCA TINHA ME VISTO, AO LANÇAR O OLHAR SOBRE MINHA ESTRELA VIU COMO UM BEST-SELLER INTERNACIONAL. 
EU SORRIA FELIZ DA VIDA. AGORA NÃO MAIS O CALOR DO ANONIMATO, 
MAS O FRIO DA CONSAGRAÇÃO LITERÁRIA 

(BIDÊ - MLAILIN) *-* ;)






Nenhum comentário: