Translate

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Pablo Neruda, John Keats, Cecilia, Lailin e uma canção na noite....



É de noite: medito triste e só


à luz de uma candeia bruxuleante


e penso na algeria e nos enganos,


na velhice cansada,


na juventude audaz e petulante.

Penso no mar, talvez porque no ouvido


ouço o tropel feroz de suas ondas:


estou bem longe desse mar temido


do pescador que luta pela vida,


da pobre mãe que tão sozinha o espera.

Não penso apenas nisso, penso em tudo
:

no pequenino inseto que caminha


no lamacento açude


e no arroio também que, serpenteando,


deixa correr a águas cristalinas...


E quando a noite chega, e tão escura


como boca-de-lobo, então me perco


em pensamentos cheios de amargura,


sombreando a minha mente


na ilimitada idade das lembranças.


Extingue-se a candeia: seus fulgores


semelham os espamos de agonia


de um morimbundo.Amarelentas cores


novo dia anunciam , e com elas 


se esvaem minhas aladas utopias.

Pablo Neruda







Tivesse eu tua imóvel cintilância,


Estrela, não sozinho na infinita


Noite, a mirar, em longa vigilância –


Da natureza insone, ermo Eremita –


As águas móveis em seu mister santo,


Puro, de abluir humanos litorais,


Ou vendo o suave, recém-caído manto


Da neve sobre outeiros e aguaçais –


Não! mas ainda firme, ainda imutável


Sobre o peito da amada em floração,


Para sempre sentir seu pulso amável,


Desperto, sempre, em doce inquietação –


E o meigo, meigo sopro surpreender


E sempre assim viver – ou perecer.


John Keats






Alta noite, lua quieta,
muros frios, praia rasa.

Andar, andar, que um poeta
não necessita de casa.

Acaba-se a última porta.
O resto é o chão do abandono.

Um poeta, na noite morta,
não necessita de sono.

Andar... Perder o seu passo
na noite, também perdida.

Um poeta, à mercê do espaço,
nem necessita de vida.

Andar... — enquanto consente
Deus que a noite seja andada.

Porque o poeta, indiferente,
anda por andar — somente.
Não necessita de nada.


Cecília Meireles



2 comentários:

sueli aduan disse...

Belíssima postagem... belas fotos.

Sua sensibilidade me contagia, adoru maninha.

bjão.

marcia lailin disse...

Obrigada minha flor
vc é 10 ou seria 1000?
te AMO!!!!!!!!!!!!!