Translate

domingo, 23 de setembro de 2012

Árvore - Salve o seu dia


Árvore

Ouvi dizer que hoje é seu dia. 

Quero aproveitar e agradecer

a todos aqueles que 

contribuíram 

de uma forma ou de outra para 

o fim de nossas florestas 

e depois de uma ou outra

encontrada pelo caminho.



 Até a foto da santa ignorância

sai FEIA




Quero agradecer meus honoráveis vizinhos,




pela morte de um maravilhoso ficus, 




plantado na calçada de minha casa. 




Arvore linda na flor da idade cheia de pássaros, 




de folhas brilhantes, 




plantada por minha mãe 






e que um belo dia eu inocentemente resolvi poda-la 

e meus honoráveis vizinhos premeditadamente 
,
colocaram óleo queimado, 

afinal a árvore fazia sujeira com suas folhas no 

inverno. 

Folhas são sujeira!

(que nojo de cada um deles) 


Ainda bem que minha mãe ja estava morta. 

Eu só não morri

porque Deus fortaleceu meu coração. 


Obrigada,

eu e as crianças agradecemos pelo fim da natureza



e pela maldição que paira em nossas cabeças!







Adelaide A.


Antes de se transformar em MLailin




Um brinde a vida!!!





São 5hs da manhã



É domingo e não é hora de acordar ninguém

Acordei com um barulho


Parecia ser no portão


e levantei para ver o ladrão


só encontrei a sombra das árvores


a claridade da rua


e a gata entrando pela abertura da janela do corredor


Era ela a barulhenta


Petra Brenda Tawane Von Kant


conhecida também como a vagabunda


voltando da balada


Voltei para a cama


e pensei: Hoje é domingo, 


dia de ficar até umas horas

Afinal, somos ou não somos robôs?


Foi ai que deixei de pensar e ouvi


Ouvi o canto dos pássaros 


no ipê roxo e no pé de 



amora


Consegui fazer a separação de vários cantos


Ainda não sei quem é quem


não sei qual seu nome


mas sei que são vários tipos


Eles voltaram


Desde o dia em que meus honoráveis vizinhos


colocaram óleo queimado no meu ficus


Eu tinha esquecido


o canto dos pássaros


Fiquei feliz por ter voltado para a casa


que meu pai e 



minha mãe fizeram



a duras penas e me deram de 


presente


Fiquei feliz por ter voltado


e salvado o ipê roxo 


de uma trepadeira unha de gato


que se agarrava a ele como a morte


Fiquei feliz ao presenciar 


as folhas secas do pé de 


amora caindo


e depois novas folhas renascendo


verdes, lindas, brilhantes


na temporada teremos amora


Agora enquanto escrevo


os passarinhos deixaram de cantar


e eu só não vou fazer um café 



porque tenho que tomar 


meu alendronato em jejum


Mas enquanto estiver em pé


dando uma volta pelo quintal


olhando as novas plantas que plantei


Darei um brinde a vida


Tim Tim





Assim,

Adelaide A.


Acordou com a corda toda



Mlailin



Nenhum comentário: