segunda-feira, 19 de novembro de 2012

ESTUPRO = Shabihas - Síria = Terra arrasada





Na guerra, 

as crianças sofrem 

provações mais terríveis 

do que o pior dos pesadelos 

de muitos adultos




Shabihas



Covardes

Bem amaldiçoados sejam, 

Profundo seja o abismo que os acolherem





Há um ano folheando as paginas do facebook 
Elas se enchiam de frases e adeptos da revolução Síria
Eu não sabia bem o que significava, 
Não entendia o que os poetas
Estavam fazendo ali na linha de frente

No campo minado 
Lia relatos sobre um ditador que precisava ser deposto
Se era um ditador sem sombra de dúvidas
precisava...
precisa ser deposto
Depois vi o que parecia ser uma comemoração
O que me fez pensar que tinha sido arrancado de lá
a tapas 
Mas acho que misturei as bolas
juntei os dois em um só: Síria e Egito
Então fiquei na minha
cuidando dos meus nadas
Novamente ao folhear as páginas do facebook
dou de cara com  um mapa da Síria em forma de desenho
uma charge mostrando o país em sangue
Pensei:
Estranho... Paz não é vermelha é branca
O que esta ocorrendo na Síria?
Será que não deu certo?
A luta foi em vão?
O que não era previsto aconteceu
Um conflito armado não intencionado 
Uma guerra civil
Compreendi subitamente o medo
O pânico de uma nação que não tem mais nada a perder
Compreendi e ao mesmo tempo não compreendi
A guerra sangrenta começou





Tem o nome de
Primavera árabe
Primavera...
uma época de flor 
Transformada em 
terror
Não te louvo
primavera vermelha 
cheia de sangue
túmulo da paz
Como se matam
Como se odeiam
Holocausto exposto 
caindo no chão como folhas
secas do outono
Pergunto: 
O que sera de Kamar quando amanhecer?




É manhã do dia 20/11/2012

Acordei com o canto dos pássaros

e uma voz que parecia vir do portão chamando: 

Mãe você esta ai?

Procurei a voz antes de responder

Parecia vir não de um lugar especifico
e sim de todas as janelas e portas da casa
meus ouvidos ouviam
Meus olhos não encontravam 

Voltei a ouvir o canto dos pássaros
enquanto olhava o céu nublado pela janela aberta
Meu coração agradecia a IHVH por isso

e minha mente seguia até

o ressonar das crianças na vizinhança

Dormiam profundamente

Essas dormem
Os únicos gritos que conhecem são os seus próprios

E dos dos pais

Em momentos de stress

A única dor que sentem 

é a dor de uma picada de uma agulha
O único estrondo que escutam é o estrondo de bombas
no final de ano
ou no final de um campeonato de futebol
Devo dizer também que sabem reconhecer
o pipocar do anuncio de que a droga dos traficantes chegou

Quem conhece sabe

como são
 Um presente
Uma dádiva



Sento em frente ao PC

Somente para ficar irritada com e a lerdeza da internet

Essa maldita bolinha da tela que fica girando, girando

Penso, já em pânico

com vontade de esmurrar

Será que colocaram todos os assuntos sérios
como spam

assim como o facebook
está colocando meu blog?
será que perdi
Será que perdi  a voz de Kamar?



- Mãe você esta ai??



Já viu um coelho paralisado
diante do brilho dos faróis dianteiros
de seu carro
quando percorria uma estrada à noite?
Estava petrificado 

como se soubesse que iria pegá-lo 

foi isso que aconteceu.


Kamar...

Coloquei várias vezes a mão na boca
assim como você

os ossos do meu corpo endureceram várias vezes
nesse momento

como o seu...
Naquele momento!
Por favor, levantem-se os grandes e escrevam por mim...



- Você quer a liberdade? ... Ok . 

Começaram a gargalhar. 

- Vamos mostrar o que a verdadeira liberdade."
- Eles disseram


Fomos todos amarrados no bairro perto de nossas casas. 

As crianças estavam lá e choravam com medo. 

Os homens, foram levados para um local desconhecido. 

Aterrorizados, nós choramos, "Ajuda" 

Pedimos, imploramos. 
Só ouvíamos nossos gritos, 
gritos de crianças chorando...



Eu estava tremendo de medo. 

O que eles querem, o que eles procuram?

Trinta pessoas? Muito mais... 

Monstruosas montanhas musculares, robustos, assustadores ... 

Seus olhos também fazem medo.

Eles me fazem sentir fora destes contos míticos 

onde o Gênio Azul diz a seu mestre: 

"Estou ao seu serviço".


Mas eles não eram de pensamentos bons .. Eles disseram: 

"vamos mostrar-lhe a liberdade como deveria." 

Eles estavam fortemente armados com pistolas e facas 

(Shabihas).


Levaram as mulheres e os amarraram com as crianças, 

eles sabiam que isso iria acontecer e pediam ajuda.

Eles nos deixaram, nós meninas, sobre o lugar, 

as mulheres gritavam, as crianças choravam.


Eles começaram comigo. 

Eu era um monstro solto. 

Eu resisti, "Deixem-me! "

Eles me puxaram pelos cabelos e me jogaram no chão. 
Minha cabeça bateu no chão. 
Eu gritei e ouvi a voz de minha mãe longe de mim gritando:


- Não, não, deixe-a, esta é uma menina jovem. 

Levem-me em vez disso, eu lhe peço. "

Minha mãe e outras mulheres gritavam, 

chorando, 

 voltando os olhos para os céus a pedir proteção. 

Seu sofrimento excitava os monstros. 

Eles riam ainda mais e tornaram-se mais violentos.

Deitada no chão, eu vi três caras vindo para perto de mim, zombando, exultantes, e uma mão começou a passear sobre o meu corpo.

Em segundos, eu estava completamente nua.


Eu ainda estou tentando resistir. Armas aproximam-se de mim, 

como os tentáculos de um polvo, eles me esmagam, 

eu sinto que eles me injetam um produto.



Eles jogam com o meu corpo como querem. 

como um furacão que varre tudo em seu caminho.


Minha mãe chorou, saiam, criminosos, 

que a minha menina, chora, grita, 

e então eu não ouvi mais nada.


Eu estava sufocando, 

eu senti um cheiro de corpo podre, nojento.


 - "Você quer a liberdade, né, bem, isso é liberdade! 

Liberdade, liberdade!  Risos novamente. 

Minha dor era insuportável. Outro monstro começou a bater-me no rosto, no corpo, 

golpes muito violentos. 

Um deles esmaga meu peito com seus pés enormes. 
Senti meus ossos estalando sob seus sapatos. 
Uns mordem todo o meu corpo.



Tocaram meu corpo, 

um após o outro, batendo palmas, 

rindo, cantando mais uma vez: 

"Nós também queremos liberdade."


Dez monstros humanos se revezaram em torno de minha dor no meu do corpo. 

Eles me torturaram, um após o outro.


Eu não posso mais ouvir os gritos de minha mãe. 

Eu virei a cabeça, depois do meu estupro, 

eu a encontrei. 

O chão, deitada, coberta de sangue.


Ela havia sido abatida, com outras mulheres e crianças. 

Eles foram todos massacrados. 

Eu não era a única menina a participar da festa. 

Os outros tinham sido torturados e mortos.




Alguém queria cortar minha garganta como os outros tinham sido. 

Uma voz disse:

- "Deixe-a. Você não pode ver que ela está quase morta, ela mal pode respirar. "


Sim, eu quase não respirava. 

Eles haviam quebrado minhas costelas sob seus pés, 

mas eu ainda estou viva, meu corpo vivo...


Depois que terminaram os massacres, estupros, torturas, 

jogaram meu corpo em uma lixeira, para que eu morresse.

- "No lixo, isto é, o seu lugar, cadela! ".


O tempo passa lentamente. 

Estou nua, ferida, estou respirando com dificuldade, eu sinto frio e vazio. O lugar é tranquilo, agora que os clamores e gritos silenciaram.

A morte está rondando em torno de mim, silêncio.

Horas e horas se passaram, então eu ouvi passos e vozes, parece-me suaves....

Eles examinam os corpos, eles tentam coletar, transportar-los ainda mais. Senti que uma mão tocou no meu peito e uma voz disse:

- "Ela está viva! Ela está viva! ".


Horas, dias, semanas, eu não sei. 

Acordei mais tarde, infelizmente. 

Teria sido melhor se eu não acordasse. 

Seria melhor que eu estivesse no outro lado.


-"Graças a Deus que você salvou," 

dois olhos amorosos de uma velha senhora, 

olham para mim.


Comecei a perceber o que tinha acontecido comigo. 

Eu chorei. Chorei com minha alma, 

meus sonhos, desejos, eu chorei por minha mãe, 

eu chorei por meu país.



A noite quando consigo dormir
é somente para sonhar
Sonho toda noite que encontrei minha mãe
meu irmão
e então acordo angustiada
por causa do barulho lá fora
Sento na cama e grito
- Mãe você esta ai?
Ouço
são tiros 
o pesadelo não terminou

Mlailin













Nenhum comentário: