Translate

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Sandy - O que fizemos com nossa casa?




Um jardim bem cuidado não surge do nada. 

Jardineiros habilidosos passam horas 
podando árvores, 
cortando a grama e arrumando canteiros de flores 
com o objetivo de deixá-los atraentes. 
Imagine a aparência de nossa Terra 
se o planeta inteiro recebesse 
o mesmo tipo de cuidado amoroso 
dispensado a um jardim.




O que fizemos com a nossa casa

Nosso belo lar?



Danificamos a nossa morada



O sistema climático da Terra 
tem sido comparado 
a uma máquina que converte e distribui a energia solar. 
Como os trópicos recebem a maior parte do calor do Sol, 
o resultante desequilíbrio nas temperaturas causa deslocamentos na atmosfera. 
A rotação diária da Terra faz com que essa massa de ar úmido em movimento forme redemoinhos, 
alguns se tornando depressões, 
ou áreas de baixa pressão atmosférica. 
As depressões, por sua vez, podem tornar-se tempestades.
Se prestar atenção à rota usual das tempestades tropicais, notará que elas 
tendem a movimentar-se para longe do equador
 para o norte ou para o sul 
 em direção às regiões mais frias. 
Ao fazer isso, 
as tempestades também servem como enormes trocadores de calor, 
ajudando a temperar o clima. 
Mas quando a temperatura da superfície dos oceanos 
a “sala da caldeira” 
da máquina climática  
ultrapassa cerca de 27 graus Celsius, 
as tempestades tropicais 
podem ganhar energia suficiente 
para se tornar ciclones, furacões ou tufões  
nomes usados basicamente para o mesmo fenômeno, dependendo da região em que ocorre.





E quando as forças destrutivas da natureza 
atacam, 
 pouco podemos fazer 
além de 
nos proteger da melhor maneira possível



Vez após vez, tentativas internacionais 
de melhorar o meio ambiente 
naufragaram 

nos rochedos dos interesses 
nacionais egocêntricos




Um cientista se referiu aos humanos 
como a “espécie exterminadora”.




Apesar dos desenvolvimentos significativos na ciência e na tecnologia,
nos confrontamos com ameaças que antes eram impensáveis.
 até que ponto podemos confiar
que o amanhã será melhor?



ganância, egoísmo, 

ignorância,

corrupção

incompetência política e indiferença

As vozes da ignorância,  

falam mais alto que as da sabedoria da natureza. 



O problema é global

e a solução deve ser global

Esperar isso é apenas um sonho

Não há esperança!

Mesmo os bem intencionados

 não têm soluções 

para os problemas 

e as preocupações ecológicas 


referentes ao que um dia

foi o nosso belo lar

ajardinado

Mlailin

Nenhum comentário: