quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Igreja de São Martinho de Cedofeita





Como se escreve uma história de era uma vez?

Era uma vez um rei....
Era uma vez um rei Suevo originário da região entre os rios Elba e Oder na atual Alemanha....
Que durante as invasões bárbaras fugiu com sua família e fundou um Reino na antiga província romana de Galicia atual norte de Portugal e Galiza. ...
Era uma vez um rei desesperado por não encontrar a cura para a doença do seu filho...





Foi em uma tarde ensolarada como hoje que o rei sentou no mesmo lugar que agora estou e ficou a pensar... Assim, como, quando tentamos entrar em um local que necessitamos e a porta se fecha e gritamos por favor abram...




Do meu lado direito vejo uma criança, uma menina acompanhada por uma senhora. Brinca debaixo de uma árvore. Deve ter seis anos, tem a cabeça a raspada e aquela cor estranha que possuem as pessoas que passam pelo processo quimioterápico. Como o rei acompanhado do filho eu não estava só. Do meu lado direito agora existe uma outra igreja, mais moderna, parecida com aquelas aberrações existentes na avenida Celso Garcia em São Paulo. A única coisa bonita nela é o sino que no momento apropriado deu sua badalada e tocou Jesus Cristo alegria dos homens de Bach.


Vivo não somente quatro horas a mais. Vivo um enorme pulo de quarenta anos ou séculos
no futuro e no passado. Sou levada como imã para o ano de 1059 o ano em que o rei Teodomiro mandou rapidamente construir a igreja em agradecimento pela cura da doença do seu amado filho.


Era uma vez um rei desesperado porque não encontrava cura para a doença do seu filho, em desespero acudiu a São Martinho de Tours enviando a esta cidade embaixadores com prata e ouro. Tendo seu filho curado ordenou a construção de uma nova igreja em honra ao referido santo. Com a mesma rapidez que a morte retrocedeu dezenas de degraus, a igreja foi construída com tal celeridade que no final foi dito: Cito Facta. Que significa feito cedo, derivando em Cedo feita.

Foi em uma tarde como está que hoje vivo.
Era verão e o sino da igreja tocou de forma diferente, repicando seu som espalhando forte e penetrando por todos os ares a alegria que devemos ter por toda a nossa vida, porque temos um Salvador que diariamente nos ajuda e no devido tempo traz a libertação.

Lailin


Um comentário:

Au Cœur Des Montres disse...

Bonsoir, Mon pays natal regorge de beau monuments et de belles légende , petit pays mais grand dans l'histoire et toujours là! malgré nos frères ennemies LES ESPAGNOLS nous nous sommes une race orgueilleuse et nos frères sont des fiers !