Translate

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Mentira




- Você quer mesmo falar sobre isso?


- Sim, quero sim! Sinto essa vontade desde ontem 

quando coloquei o vestido florido que ele me deu.


- Espera um pouco vou pegar o vinho e as taças. 

Pronto!






- Aconteceu naquele inicio de noite. Numa quarta-

feira. Tinha acabado de chegar em Ribeirão. Foi 

quando olhei para a tela de computador dele e nas 

mensagens do MSN tinha algo escrito. Consegui ler: 

"Oi amor, cheguei!". Dei uma olhada no nome e 

anotei: Ana C. Depois quando tive um tempo vago fui 

nos amigos dele no facebook e encontrei: Ana C, 

evangélica, viúva... Olhando o rosto, somente a 

metade, um pedaço de sobrancelha, cabelo e um olho, 

achei estranho. A maioria das mulheres costumam se 

mostrar. E depois abaixando as postagens.. somente 

flores e textos bíblicos... Muito estranho... Como uma 

pessoa com esse perfil poderia logo dois dias depois, 

me dizer tudo o que disse sobre ele? E semanas depois 

se tornar sua amante?

- E o que foi que ela disse

- Que ele não valia nada. Era um cafajeste e que além 

de mim existiam várias outras

- Se ele era tudo isso, o que ela fazia no MSN 

chamando-o de amor

- Eu não me interessei em saber muito sobre as 

histórias contada por ela, além do que mais foi 

naquela semana que coloquei um ponto final naquela 

situação e meses depois enviei 

um sedex eliminando-o, 

juntamente com seu sócio do 

processo de usucapião.




- E que fim levou eles

- Devido minhas crônicas cotidianas ela ainda me 

mandou recentemente uma mensagem dizendo que 

eu estava com inveja dela. Devo estar mesmo, com 

inveja de ser vadia. E depois disso, nunca mais soube. 

Sei que semanas depois do acontecido, 

ela tirou o luto 

e colocou em sua página 

em um relacionamento sério e ele também.

- Que safada!

- Exatamente! Coisa de novela









3 comentários:

Anônimo disse...

Deveria escrever uma novela... Me diverti um bocado agora
Abraços

Alexandre disse...

Coxas, pernas e pes nas suas fotos...tudo que eu mais gosto.
Beijos iluminados e se o mundo se acabar que me salve a poesia.

marcia lailin disse...

Obrigada Alexandre por ler o blog
e Anônimo realmente estou a terminar o livro de novelas, não tão exemplares quanto as de Miguel de Cervantes
Bjs