terça-feira, 2 de outubro de 2012

É TARDE....


A tarde põe as tristes mãos de seda,

ermas de jóias e de pedraria

sobre o cabelo de ouro da alameda

sonolenta de maio e fim de dia

a tarde põe as tristes mãos de seda.



O mistério do outono embala tudo
no silêncio de seu recolhimento;
e as mãos da tarde, suaves, de veludo,
descem do céu, num gesto longo e lento,
ermas de jóias e de pedraria.
Um par de lábios, trêmulos, fugazes,
perfumados de sombra e de desejo,
depõem, numa carícia de lilases,
a religiosa unção de um grande beijo
sobre o cabelo de ouro da alameda.
E esta fica a sonhar, como quem sonha
um infinito sonho de saudade,
numa quietude mística e tristonha,
sob o incenso da meia-claridade,
sonolenta de maio e fim de dia...

Alceu Wamosy




deixo abaixo um canto 

o mais belo que existe e de maior influência. 

Foi o consolo dos judeus em aflição e dos pioneiros 

que desbravaram a América

Como uma doce canção de mãe, cheia de segurança e 

repouso.... 

me consola



"O Senhor é o meu pastor; eu de nada mais preciso
Ele faz-me deitar nas pradarias verdes; ... ele guia-me para as águas quietas
Ele reconforta minha alma... por amor ao seu nome, conduz-me pelo bom caminho
Sim, embora eu, ande pelo vale da sombra da morte, não temo nenhum mal... porque tu estas comigo
Teu bastão me conforta
Tu me preparas a mesa na presença dos meus inimigos
Tu unges minha cabeça de óleo
Minha taça transborda"

Salmos 23


Se em português (Bíblia 
em tradução do inglês de 1936) é essa maravilha

Em hebraico ressoa com ampla majestade


Silêncio,

Numa rua central acha-se a casa dos meus pais

Passo agora os meus dias nessa morada

que tanto desprezei 

Os sonhos despertam em mim

deixo-os fugir, voar

Meu pai e minha mãe

ambos muito ocupados

com suas obrigações

e preocupados com o futuro dos filhos

não me falavam senão vagas palavras

Amavam-me como pessoas positivas de espirito 


pratico

Amavam-me bem mais com a razão do que com o 


coração

e eu vivia encerrada

com meus pensamentos

e nervosa com minha eterna inquietude

Mlailin





Um comentário:

L. Rafael Nolli disse...

Belos poemas, com certeza. Imagens igualmente belas!
Abraços!