domingo, 20 de julho de 2014

introspecção




 Já estava longe 2km
Quando lembrei:
Esqueci de engolir os remédios
Foi quando ouvi um vozeirão

Era o grilo falante, o lampadinha
meu pai, minha mãe falando:




- Não olha para os lados
- OK
- Não olha para gaza, Síria, Georgia, Ucrania. O que foi que eu te disse sobre isso?
- Não olharei. Você me disse que a ONU foi criada com o objetivo de manter a paz mundial. Qiue reclamem e façam abaixo assinado a ela e não a um pequeno grão de areia tentando fugir do mar de sangue que teima cair sobre mim
- Muito bem. E quanto a terra cheia de minas que você pisa?




- Quando os viadutos cairem, quando as casas desabarem, quando os assassinatos acontecerem por miseras quantias eu devo lembrar que essa é uma nação teimosa que sempre retorna ao cabresto aos grilhões ao dominio de patifes.
- E quando seus amigos se fores na morte?



- Vou lembrar do que fizeram e do que disseram, como: "A morte é a "única certeza" nessa vida
- Vai chorar?
- Não, vou englir as lágrimas. Assim como alguém que engole sapos e depois vomita borboletas
- Só isso?
- Não vou colocar meu fone de ouvido e ouvir Phillippi Jarouski, Vanessa Paradis...
- É isso que escuta agora?
- Escuto Les moulins de mon coeus de Michael legrand





- Por quanto tempo suportará ouvir isso ?
- Seria capaz de ouvir a vida inteira
- A vida inteira é muito tempo para ouvir uma música tão triste. Não acha uma música triste?
- Sim, é muito triste. Mas é com a tristeza que chego a ti, minha introspecção




Nenhum comentário: