Miss Julie



Miss Julie



Calhou


que caiu uma tempestade ontem
Eu estirada na cama com o cabelo cheio de color perfect 7.4 da Wella
ouvindo raios, trovões, água caindo pelo telhado e o mar revolto
querendo engolir o mundo com tudo dentro
Com essa maquina aqui ligada
procurando na toca
um filme
Dei inicio ao Veredicto com Paul Newman
Dez minutos depois pensava
"Deus, de novo aquela mulher vegetal na cama em mais um trilionésimo erro médico! Quem aguenta ver o desespero da família procurando justiça ao lado de uma advogado bebaço!!!"
E assim fechei a pagina e voltei a procurar uma outra página
já estava entediada quando vi Miss Julie
Um filme tão falado por alguém que não sei mais quem
sei que é um
morador aqui do face
O que me assustou logo no inicio foi a duração do filme
duas horas e dez minutos.
Mesmo assim permaneci ali, firme,
tipo: quem está na chuva e para se molhar
No inicio achei até motivador a garotinha saindo do castelo solitário
a procura de uma alquimia,
no campo, no vento, nas árvores, no lago...
Depois fui engolindo os caprichos de uma mulher neurótica e solitária
Pior ainda foi encontrar ao seu redor pessoas mais doentes do que ela
E tudo em único ato
Noite do pleno verão
Espero que ninguém tenha desejado se levar
pelos cabelos ruivos, olhos azuis e boca carnuda da personagem e tenha suspirado e dito: "Que linda, quero ser assim"
Ou os homens inspirados em uma cafajestice e uma foda
tenham desejado ser um engraxador de botas
Parece que ouvi um: "Ate parece!"
Bom, o filme é cheio de diálogos infames, tipo:
- Não sei quem sou
- Eu também não
- Não sabe quem sou?
- Diga que me ama senão nada sou
Os quinze minutos finais são simplesmente deprimentes, escritos por uma cabeça doentia, para outras cabeças mais doentias ainda
Pior que o pior já dito, foi ver em seu final
a empregada com um vestido fechado até as goelas, um chapeuzinho tão ridículo quanto sua fala
pronunciando:
- Deus não é observador de status, com exceção dos últimos que serão os primeiros e é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico ... ( o resto vocês já sabem)
O filme termina com o engraxador de botas colocando em suas mãos uma navalha, a mesma que ele usou para fazer a barba
dizendo a ela que só restava uma coisa a fazer e que devia se apressar (como Judas)
E a idiota obedece
quando ela sai,
abre o portão e começa a caminhar pelo campo o mesmo
do inicio do filme
Eu espectadora estupida ainda tive um lampejo de esperança e pensei ela vai tomar o mesmo rumo da garota forte e corajosa que foi um dia
Mas qual
ela ainda desfolha flores e fala alguma coisa bonita,
uma poesia engana trouxas
e a câmara lentamente segue mostrando as flores seguindo o curso do rio, tão delicado
para logo mais vir ao encontro delas um filete escuro de sangue
Não aconselho o filme para ninguém
exceto para os especialistas em psiquiatria
e os estudantes de direito que estejam a fim de ver como age uma pessoa que induz outra ao suicídio
ou como um roubo seguido de morte pode permanecer misterioso
por longo tempo ou para sempre
Eu quero mais é que ele desapareça da minha mente
Exceto a música
que fui procurar no youtube
https://youtu.be/Il6-lZYDpqYquando descobri que era o 929 de Schubert, quase sai aos berros
por favor o 929 não,
O 929 não combina com patifarias
coloquem uma porcaria qualquer, mas não o 929 de Schubert,
sua Liv Ulmann lazarenta


lai




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resumo do filme - "Bicho de sete cabeças"

Assassinato em primeiro grau