Perversidade


"Perversidade"

"Estávamos pobres e pobres não tem atrativos" - li isso agora no livro A disciplina do amor da Lygia Fagundes Telles. Fiquei pensando nisso concordando com sua observação, lembrando dos que pensam assim e agem de acordo rejeitando-os por falta de atrativos. Lembrei também de duas parentas que tenho que se arreganham toda quando veem um rico (me causando repugnância) Lembrei do conselho bem fresco e oportuno em minha mente: "Se fizerem distinções de classes, serão consideradas como pessoas perversas" Tenho uma noção terrível sobre perversidade. Na família como já disse; por morar em um país perverso; pela leitura; nos filmes; no ar que envolve a humanidade e pelos caminhos que andei. Mesmo assim fui buscar no pai dos burros (o google) seu significado. Diz ele: o que tem tendência a praticar crueldade.
Fiquei juntando as peças da pesquisa: perverso é diferente de ser mau. Mau ainda existe critérios em que se ancorar como a consciência. Quem é perverso já cauterizou a sua, já arrumou uma desculpa para agir assim, já pôs a culpa em seu sentimento em outro, já encontrou uma justificativa
Ser perverso é comparável a um assassinato, cujo assassino percorreu o processo inter-criminis (o caminho pelo qual o crime precisou percorrer até ser consumado. Caim é um exemplo que cai como uma luva
Perversidade é o que vemos ou ouvimos todo dia, aquele crime bárbaro que aconteceu e que você assistiu pela TV ao vivo e a cores e cujo assassino ate filmou, você se torna testemunha dos detalhes, em pânico, aterrorizada, com os olhos esbugalhados ouvindo o Datena dizer: "O crime foi cometido com requintes de perversidade"

Lai

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resumo do filme - "Bicho de sete cabeças"

Assassinato em primeiro grau