sexta-feira, 7 de junho de 2013

Paulo das trutas - uma luta em Monte Verde/MG

Viver
significa
lutar



Eu não acreditava em loucura

até o dia em que comecei 
a analisar mais de perto 

a loucura do Paulo das trutas


           

                               Tinha um sonho:
                           Engenheiro agrônomo
                               Quando garoto
                    Foi matriculado por sua mãe em um
                    colégio interno de agronomia em Itu







Mas ai 

a mãe saudosa do filho
foi busca-lo
bem antes do término
deixando o filho para sempre
em um vácuo
um buraco


Seu sonho de ser um engenheiro agrônomo
caindo por terra
e ele junto




Ficou longo tempo dentro dele
até onde estive com ele ainda estava lá
mesmo tendo ido embora
para Monte Verde
Morar no Hotel Itapuá
Eletricista do Hotel
trabalhando para 
Andreas Wagner e Cristina
sua esposa
O tempo passava
e não era isso
Eletricista era somente
um meio de sobrevivência
Um vazio.............

Tentou mel
Começou a criar abelhas
leu tudo sobre elas
e ficou conhecido como Paulo do apiário
Alugou uma porta
na rua principal
e começou a vender mel

Ainda não era isso
mas o que seria?
Pensava ...
Andava...
Pela mata fechada
Fazia
Trilhas...
Conversava
Werner Grinberg ...
Egon...
Dona Rosa...
Tinha idéias
Ouvia fatos...

Arrendou uma pousada
Pousada Dona Elsa...
Uma procura
O tempo passando
Anos...
Os filhos chegando
1, 2, 3...
Uma solidão


Precisava descobrir
e rápido
o que havia dentro de si
e então
dar o salto
a caminhada
o fardo

Encontrou um terreno
em uma rua sem saída
começou a ir até lá
entrou na mata
descobriu uma cachoeira
uma nascente
e
aquela coisa
um clique
um...
Eureka!!!

Comprou livros
e começou a estudar
era sempre assim
sempre foi assim
Pesquisar
num tempo em que não havia internet
foram os livros
e com eles
fez os tanques
trouxe a água pura e limpa da cachoeira
depois de ter obtido o aval dos
donos
engenheiros da melhoramentos
já que a área
onde estava
a cachoeira pertencia a melhoramentos
Não encontrava um ajudante
ninguém que
com ele
fosse até
o alto
e carregasse cimento
areia
pedras
para fazer o canal
Quantos quilômetros
5?
Mais?
encontrava somente bêbados
que mantinha com cachaça
durante pouco tempo
nem eles suportavam
Comprou uma mula
ele a mula
meses e meses
chuva
sol
e muito frio
e assim fez
e assim suportou

Prosperou...
Conseguiu ...



Um autodidata
 Merece todo meu respeito e admiração
Meu irmão Paulo de Tarso


Mas, o que eu mais admiro
é que ele não precisou vender a alma ao diabo
Nem tomar banho de água podre

Foi
um braço de ferro

 na raça
Cabra bom tai
Lailin

Nenhum comentário: